O Dia do Julgamento


wooden gavel and books on wooden table,on brown background

A frase “O Dia do Julgamento” é de colocar medo em qualquer um. O homem tem buscado compreender a real natureza desse julgamento e até tem especulado sobre o assunto com muitos filmes hollywoodianos e livros de temática apocalíptica. Quer tenham medo ou apenas curiosidade, as pessoas continuam a indagar sobre este assunto.

A Bíblia declara em suas páginas que todos os seres humanos serão julgados, mas diferentemente do juízo final descrito em Apocalipse 20 sobre a destruição do mal, Levítico 23 fala sobre um dia de juízo em que o povo de Deus teria seus pecados expiados, era o Dia da Expiação:

Mas, aos dez deste mês sétimo, será o Dia da Expiação; tereis santa convocação e afligireis a vossa alma; trareis oferta queimada ao SENHOR. Nesse mesmo dia, nenhuma obra fareis porque é o Dia da Expiação, para fazer expiação por vós perante o SENHOR, vosso Deus. Porque toda alma que, nesse dia, se não afligir será eliminada do seu povo. Quem, nesse dia, fizer alguma obra, a esse eu destruirei do meio do seu povo. Nenhuma obra fareis; é estatuto perpétuo pelas vossas gerações, em todas as vossas moradas. Sábado de descanso solene vos será; então, afligireis a vossa alma; aos nove do mês, de uma tarde a outra tarde, celebrareis o vosso sábado. (Levítico 23:27-32).

Este dia era um momento especial em que o povo estava unido e expectante. Era um dia para purificar todas as marcas que o pecado havia deixado durante o ano. Os versos 30 e 33 do capítulo 16 de Levítico mostra que, afim de purificar, a expiação era feita pelo santuário, pela tenda, pelo altar, pelos sacerdotes e pelo povo. Ou seja, a expiação deste dia era feita por todo lugar onde o pecado havia passado.

Era juízo sobre eles, mas juízo apenas por aqueles que, através dos sacrifícios, tiveram seus pecados perdoados. O juízo sobre o povo de Deus é de investigação, onde os céus comprovam que o indivíduo está salvo em Jesus. O mesmo não ocorre no juízo dos ímpios, pois estes pagarão por sua culpa com a morte eterna.

De acordo com a profecia em Daniel 8:14 e 9:24-25 juntamente com os relatos do livro de Hebreus, em 22 de Outubro de 1844 começou a purificação do Santuário Celestial, teve início o Dia da Expiação. Assim como este dia no antigo Israel requeria solenidade e contrição, hoje os cristãos precisam entender como viver nesse tempo de juízo, tempo em que os nomes daqueles que se entregaram a Cristo estão sendo analisados.

O QUE FAZER

O relato Bíblico mostra o que Deus esperava do seu povo no Dia da Expiação. A princípio o povo tinha uma santa convocação. Era uma reunião de todo o povo. Esta expressão aparece também em outras festas, onde o povo deixava suas tarefas cotidianas e se reuniam para festejar. O intuito de Deus com isso era mostrar que seu povo devia parar o que estava fazendo e se dedicar ao evento festivo.

No caso do Dia da Expiação, o povo se reunia em expectação, aguardando com reverência o que iria acontecer. Todos estavam unidos em um único propósito, todos estavam ali por um único motivo, adorar ao Deus que os perdoou. Essa também deve ser nossa reação diante de um tempo tão importante, adorar ao Senhor que nos perdoou. Devemos estar unidos nesse propósito, deixando de lado as diferenças que nos separam e nos apegando às semelhanças que nos unem. Devemos nos congregar como aconselha Paulo (Heb. 10:25), para buscarmos juntos a presença do Criador.

Do povo também era requerido o afligir da alma, uma expressão que significava se humilhar através do jejum. Diante disso o povo deixava seus desejos de lado para se concentrar ainda mais no culto de adoração a Deus através daquele ritual. A palavra original traduzida por “afligir” significa, além de humilhar, dominar. E a que foi traduzida como alma, pode também ser traduzida como vida, pessoa, paixão, desejo, apetite e emoção. O afligir da alma tinha que ver com jejum, mas não só com isso. O adorador deveria dominar sua vida, as suas paixões e desejos, os seus sentimentos.

Hoje o cristão é convidado a viver uma vida de abnegação e renúncia como ensinou Cristo nos evangelhos, contudo, mais ainda hoje que vivemos em momento de juízo, devemos dominar nossa vida e não sermos dominados por ela. O domínio próprio é um dos frutos do Espírito, pois Deus se importa em nos dominarmos.

Outra ação que acompanhava o povo de Deus no Dia da Expiação eram as ofertas trazidas ao Senhor. A expressão “oferta queimada” aparece em todas as ofertas que o indivíduo trazia ao santuário e cada oferta possuía um significado diferente. Então naquele dia o povo era convidado a trazer sua oferta ao Senhor. Apesar de não dizer qual oferta era trazida, o texto deixa implícito que o intuito de Deus ao pedir a oferta era fazer o povo lembrar das ofertas que trouxeram durante o ano e seus respectivos motivos: dependência divina, gratidão, relacionamento com o divino, perdão pelo pecado e pela culpa.

Todo pecador redimido é convidado nesse tempo a buscar ao Senhor com profundidade, a chegar a Ele com gratidão e dependência, com coração em sincero arrependimento, reclamando para si não apenas as bênçãos divinas, mas a transformação completa do ser. Deus quer restabelecer um relacionamento genuíno e maravilhoso com seus filhos e hoje é o tempo de isso acontecer.

IMPLICAÇÕES EM DESOBEDECER

O verso 28 diz que neste dia o povo não deveria realizar nenhum trabalho. Diferente de outras festas religiosas em que o povo era proibido de fazer obras servis, no Dia da Expiação era expressamente proibido realizar qualquer tipo de trabalho. A palavra usada no original indica todo e qualquer tipo de atividade, até mesmo as religiosas. Deus tinha real interesse que o povo se desligasse por completo de suas atividades nesse momento para busca-Lo por completo.

Essa ordem era tão importante e devia produzir tão profunda reverência no povo que Deus disse que aquele que fizesse alguma obra seria destruído, exterminado (v. 30). Essa ação está intimamente ligada à santa convocação, pois aquele que estivesse na assembleia unido em adoração não teria como estar desempenhando atividades alheias ao propósito do culto, ao passo que o que estivesse realizando algum trabalho não estaria em condições, mentais ou espirituais, de focar no propósito daquele dia solene.

O mesmo ocorre hoje, quando somos convidados a deixar nossas preocupações e anseios nos braços do Mestre e nos dedicar em ama-Lo e servi-Lo. Deixar de fazer isso acabará por nos trazer a morte eterna, pois o que de Deus se desliga é lançado fora para ser queimado como na parábola da Videira em João 15. Deus não quer nossa devoção parcial, Ele deseja nossa entrega por completo, cada pedacinho do nosso ser, cada pensamento e cada desejo sob seus cuidados. O Senhor deseja que nós o busquemos por completo.

De igual forma, aquele que não se afligisse seria expulso do povo, como mostra o verso 29. A punição por rejeitar a ordenanças divina era deixar de ser parte do povo de Deus. Isso nos mostra que se falharmos em dominar nossa vida, em desenvolver o domínio próprio, sairemos por fim das fileiras do exército do Deus Vivo. Deixar de nos dominar a cada dia é caminhar para longe do povo de Deus um passo de cada vez. Pode não ser perceptível hoje, mas ao fim o transgressor se verá longe dos braços do Mestre, seu coração endurecerá e a iniquidade o dominará.

CONCLUSÃO

Este é um momento crítico na história cristã, momento solene em que o povo de Deus deve permanecer unido no propósito de adorar e servir ao Deus que os perdoou. Um tempo que devemos buscar o Senhor com intimidade e nEle forças para dominar o eu. Falhar hoje em estar ligado a Cristo, a Videira verdadeira, é também falhar em estar com ele na eternidade. Neste momento de juízo cada um deve olhar para si e buscar o concerto com Deus.

O Dia da Expiação compreendia um autoexame, uma verificação do progresso obtido na santificação, em uma busca por Deus, a confissão dos pecados, um reparo dos danos cometidos e um ajuste de contas com Deus e com os homens. Hoje somos convidados a fazer o mesmo.

Hoje é um tempo solene, você deseja confiar em Deus e entregar sua vida em suas mãos? Deseja permanecer unido ao corpo de Cristo e se relacionar intimamente com o Senhor? Hoje é o tempo em que você deve dominar sua vida, e confiando em Jesus, entregar sua vida a ele. Que você possa fazer a escolha certa, e que ao seu nome ser investigado nos registros celestiais possa ser encontrado: Salvo por Jesus!

Anúncios
Esse post foi publicado em Sermões e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s